Mais um...


Foi mais um fds de grandes ondas. Principalmente no Sábado, em que surfei o dia todo, ficando quase desnutrido e desidratado.
No Domingo, só valeu a pena pela companhia: por incrível que pareça o Gus, passados muitos anos, madrugou e entrou num mar de treta e com chuva.
A maquineta fotográfica continua a portar-se bem.

PS: a retro board já me começa a picar o juízo.
Foto: Nani

7 comments:

Nani said...

Uiii...
Só surfei no Sábado de manhã, mas foi em grande... pena que o Rui não estivesse lá, foi em alta.
Da sessão fotográfica acho que esta foto, foi a melhor, não só pela onda mas pelo posicionamento do HEM, A onda já era dificil em prone quanto mais em drop knee...
HEM, a máquina está mesmo a valer o seu peso em ouro.
Acho que em dois dias tens mais portfolio do que em anos de surfadas.

Homem do Mar said...

Fazem bem em não revelar informações sobre esse pico. Aqui na zona já são poucos os sitios onde ainda é possivel surfar sem crowd.

Deixo aqui o endereço para o meu blog.

http://altarmar.blogspot.com

HEM said...

Obrigado pelo contacto, Homem do Mar.

Este e outros picos como esse constituem um segredo preservado pelo Speakleash há cerca de 15 anos.

Apesar de ser difícil, ainda se consegue surfar boas ondas com os amigos e sem crowd.

Por outro lado, sabemos que mais tarde ou mais cedo o inevitável vai acontecer (aliás, esse pico já foi baptizado com um nome diferente do original, à semelhança do que aconteceu com outros picos). O que esperamos é que quando isso acontecer e o crowd aparecer, ele saiba respeitar todos aqueles que já lá estiveram e não transforme, como já se verificou, picos de sonho em picos de fuçanguice.

Acho que acima de tudo é uma questão de saber preservar aquilo que de bom temos e manter o espírito de descoberta (nem que seja a 500m do nosso pico habitual) que também caracteriza o surf.

Um abraço.

Nani said...

Essa é a realidade.
Nós temos sido pioneiros em surfar diversas ondas na nossa costa (e não só), sempre com a maior descrição possível, pois temos bem presente os fenomenos Foz do Lizandro, Pedra Branca ou Ribeira d'Ilhas.
Como disse o HEM, há por aí ondas, que hoje têm nomes diferentes dos originais, "descobertas" por putos sedentos de fama a qualquer custo.
Essa costa é batida por nós há cerca de 15 anos, sem nunca ter sido divulgada, nem nos meus momentos mais mediáticos.
Espero que mantenha o mais tempo possível no anonimato, pois ainda há de ser palco de muito mais surfadas só com amigos.

Homem do Mar said...

Apesar de não me apresentar formalmente, adianto que sabem quem sou. Deixo essa apresentação formal para outra altura.

Lembro-me do tempo em que o Pedro Jorge andava com voçês e mesmo ai tiveram a lucidez e inteligência de não divulgar ou expor demasiado algumas ondas.

Como referes Nani existe uma sede de fama por parte de uma nova geração que não olha a meios para atingir fins. A mais recente prova disso aqui na zona é a Cave. Escrevo sobre essa situação no mais recente texto do meu blog.

No meu blog não pretendo divulgar a minha imagem, mas apenas uma forma mais soul de estar no mar. Espero que encontrem lá algumas linhas de pensamento comuns.

Boas ondas...por mais 15 anos!

Rui said...

Estive a dar uma viste de olhos pelo teu blog, Homem do Mar. Interessante. Vou querer ler com mais atenção e comentar alguns posts.

Fiz dia 1 de Maio de 2007, 20 anos de andar nas ondas, tendo eu 31 são quase 2/3 da minha vida. Acho que um dia hei-de fazer um post acerca deste feito histórico (para mim)

Abraços

Homem do Mar said...

Rui

Como já referi é sempre bom encontrar pontos em comum e partilhar ideias.

Aguardo os teus comentários.

Até breve.