FDS em Vienna e Praga


Aproveitando o feriado de 25 de Abril, decidi fazer uma ponte para ir conhecer estas duas cidades europeias.


Ambas primam pela sua riqueza arquitectónica, histórica e cultural. Sendo relativamente pequenas (onde, basicamente, só andei a pé) têm um avultadíssimo leque de opções de interesse. Por ter o tempo limitado, reduzi ao máximo todos locais os mais emblemáticos.

Posso dizer que ví tudo de um modo genérico, tendo, ainda, explorado um ou outro local com maior cuidado.

Apesar de ser um programa muito cansativo (non stop) valeu muito a pena. Sempre é bom ver culturas diferentes da nossa, de modo a que possamos valorizar aquilo que temos de diferente e ver aquilo em que podemos melhorar.



O que me surpreendeu verdadeiramente foi Vienna, pois não estava à espera de, numa cidade tão sumptuosa como aquela, ter um espírito verdadeiramente descontraído e relaxante. Trata-se de uma cidade em que se pode dizer que há de tudo, como por exemplo, poder ir à famosíssima Opera de Viena a cerca de 3,5€ ou comer um bolo de chocolate (
Sacher-Torte) e strudle de maçã, com três cafés/capuccinos por cerca de 30€ no Sacher-Cafe.
Por outro lado ir até Belvedere e ver vários dos melhores quadros do mundo (em especial os de Klint) na
Österreichische Galerie Belvedere, é único e é imperdivel para quem gosta minimamente de arte.


Quanto a Praga, também é uma cidade muito bonita, do tipo presépio, e, apesar de ser minúscula, é muito "concentrada" no que concerne a locais de interesse. Digno de nota é facto de a cerveja (que, por sinal, é excelente, especialmente a cerveja preta; o que se compreende por gozarem da fama de terem uma tradição em produção de boa cerveja) ser mais barata que uma garrafa de água.




Por fim, relativamente às pessoas, as de Vienna eram bastante naturais e simpáticas q.b.. Por contraposição, os Checos são muito pouco simpáticos, faltando-lhes, em absoluto, qualquer tipo de cordialidade.


Por agora, confesso que já estou um pouco farto de "férias urbanas", fazendo-me falta ir para o meio da natureza e desligar das correrias.

4 comments:

fredartes said...

Ui! Que fixe introduzires o tema das viagens "fds" nas tertulias virtuais speakleasheanas. Acho que é muito porreiro. Membro speakleash que se preze é sempre um viajante e descobridor. Já nos bons velhos tempos faziamos isso numa escala diferente. Sempre à procura de novos horizontes, cheiros, cores, paladares, emoções, etc. Parabéns pelo texto.

Nani said...

Outro grande post.
Já tivemos oportunidade de falar sobre essas viagens.
Muito o bom o teu espirito de procurar outras formas de estar na vida e de pensar.
Infelizmente, tenho outro tipo de espirito... (ver o que não se pode ver) o que me tem impedido de optar por umas férias além fronteiras.

HEM said...

Nani, este último comentário fez luz no meu espírito: acho que a profissão ideal para ti seria de repórter.
"Já agora, vale a pena pensar nisto"

HEM said...

Fredartes, de certeza que te ias passar com estas cidades, em especial Vienna. Aquilo tem arte até dizer chega.
Quando fui a Belvedere era só quadros dos "cromos raros" aos magotes e em quantidades industriais: é curioso que quadros em que és bem capaz de passar um dia inteiro, ou mais, a olhar para eles os visses quase de relance, pois tens mesmo a necessidade de os ver todos (por vezes até chega a ser frustrante), pois, como bem sabes, ao vivo é completamente diferente de os ver em reproduções.