A Oeste nada de novo

Um dos nossos, que agora vive noutro país,pediu-me umas fotos da Ericeira para o seu facebook.
E assim de camera em punho tentar sacar o melhor da Ericeira e implicitamente, o melhor de Portugal.

Tive de ir ao multibanco levantar dinheiro, e vi este espectáculo... Epá, tenho de concluir que merecemos o país em que vivemos.
Apesar de haver espaço para meter os papéis nos cestos, as pessoas preferem manda-los para o chão. As pessoas preferem estacionar nos lugares destinados aos deficientes para não andarem mais três metros, as pessoas preferem ser corruptas a serem honestas.
Não há pachorra para esta raça de gente.

4 comments:

HEM said...

A culpa é dos bancos que não colocam um cesto para os "talões do multibanco" (já que colocaram um para papeis, não lhes custava nada colocar outro para os talões... mas enfim).

O pessoal até é cívico, mas há limites: por não haver cestos para "talões do multibanco" não têm que andar carregados com eles!!!

Fig said...

Infelizmente aqui no Oeste há algo de novo, apesar de não ser novidade. Começou esta semana a destruição da linha de costa que dá acesso à Empa e a qual corresponde a uma das zonas nobres em termos de ondas. Ao que parece será para instalar o estaleiro de materiais para a recuperação do Porto de Pesca que em breve deverá ser convertida em marina, pois essas tradições da pesca e afins já não interessam a ninguém e não são boas para o turismos e para o betão. (pois...)

Após o final das obras ficará um aterro tipo buraco ou lixeira, que mais tarde ou mais cedo será usada para urbanizar e apresentado como plano de requalificação com direito a cerimónia e tudo (pois...). Já sabia que isto iria acontecer desde que à 15 anos atrás vi uma camioneta da J.F da Ericeira cheia de lixo a despejar na zona o seu carregamento.

Como dizia uma placa nessa mesma camioneta: Ericeira, onde o mar é mais azul. Pois...já foi já.

Fig said...

Mais Novidades sobre o Oeste!!!

A Vastidão da Destruição é Realmente Devastadora.

O "buraco" hoje para estaleiro, amanhã (certamente) para urbanização vai da Pedra ao Reef. O nome da empresa ligada à obra diz tudo: OFM, ou seja, O FiM.

Na altura da futura urbanização e ao abrigo do uso capião irei reclamar uma parecela do terreno para a instalação de uma casa em madeira e de uma quinta ecologica que sirva de tampão à destruição...

É de estranhar (ou talvez não) que numa zona com tantos amantes do surfing, escolas, surf-sholipopes, empresas, campeões e clubes de campeonatos, não se tenha ouvido ainda qualquer reclamação sobre o assunto (eu ainda não ouvi). Uns pensaram "quero lá saber, já tenho os calçoes do kerry slotter!", outros "isto não é nada comigo", outros "não faz mal nenhum, pois é em terra e para o nosso desenvolvimento" e ainda outros "é melhor não dizer nada se não tiram-me o subsidio de apoio desportivo".

Bendito Ministro...dos Demónios.

Frederico Henriques said...

Estão a esquecer-se que aquela zona de costa entre o Matadouro e a Empa, já famosa de outras historietas, em tempos idos já teve um percurso pedestre junto ao mar??

Parece que alguém se apropriou do filete de carreiro que fazia tal passagem...E agora para passar a pé do Matadouro à Empa têm que mamar com o monóxido de carbono...

Viva as Tretas urbanísticas palhaçentas e os partidos políticos!!!