ZX Spectrum 48k

Esta semana comprei um Spectrum 48k.

Quem não se lembra do Manic Miner, Scubadive ou do Chuckie Egg?

Todos se devem lembrar deste poderoso microcomputador que era comprado com a desculpa de servir para a escola, como os tempos mudaram, até que nós "descobriamos" que dava para jogar jogos, aliás, o ZX Spectrum não era mais nem menos do que uma máquina de jogos. Não era uma consola (isso era o TVBrinca) mas uma máquina de jogos onde qualquer um poderia, com um pouco de estudo, desenvolver programas/ jogos a seu belo prazer.
O meu irmão fazia mapas do jogos (chegamos a mandar um do Robin Hood e do Great Escape para a Your Sinclair).
Para quem quiser recordar: http://www.zxspectrum.net/

4 comments:

PixaComXis Produxões said...

Eu também tenho uma, emoldurei o teclado e está em lugar de destaque na minha sala. Vou tirar uma foto e postar :-)

Anonymous said...

Nanix, desgraçaste a minha vida com esse link cor de laranja. Já nem ligo a tv quando chego a casa (e quando saio é com dificuldade)!!
Jogos espetaculares, excelente jogabilidade, ricos em perícia, inteligência e entretenimento, pecando talvez apenas nos gráficos para os jogos mais modernos, tudo, contributos para a nossa (boa) educação, assim como nos ensinou a paciência, a ver os jogos a entrar ou afinar o gravador. Ensinou-me também as minhas primeiras palavras em estrangeiro (load "", left(O), right(P), up(Q), down(A), fire/jump(M)). hehehehe
Com o tempo que passei da minha meninice junto a este aparelho, posso atrever-me a dizer que é provavelmente responsável por 20% dos alicerces do meu conhecimento (que deve ser programado em basic hehehehe).

Aproveito para lançar um desafio:
Baseado no link cor de laranja do post original, publiquem os vossos melhores resultados com print_screens. Vamos eleger o ZX_Spectrum masters 2008?

Altamente essa tua reliquia, Nanix! Muito boa colecção mesmo!
...e obrigado por esta deliciosa viagem aos bons velhos tempos!!

Abraços,
Guxtavix

HEM said...

O que tu foste fazer… está tudo desgraçado. Esse link faz a papinha toda.

O meu cérebro disparou para mil à hora. Grandes tempos:
-os das cassetes carregadinhas de jogos (felizes eram aqueles que tinham um gravador com conta-rotações), da BASF ou das brilhantes Maxell – para os melhores jogos;
-dos testes de resistência física do hard-ware, quando as coisas não corriam da melhor maneira (os 48k eram mesmo resistentes, ainda tenho presente na memória, um lançamento que fiz, com o gravador preso pelos cabos contra o móvel da televisão, sem contar com as inúmeros murros… isso era prática corrente – e não, nunca foi preciso substituir o 48k, sempre funcionou);
-das bulhas que surgiam sempre que se jogava “Mach-Day” a dois, para que 10 dedos coubessem miraculosamente no minúsculo teclado;
-Do “Scool Daze”, do “Califórnia Games”, do “Moon Cresta”, do “Saboteur”, do “Spy Hunter”, do “Out Run”, do “Renegade”, do “Comando”e por aí adiante;
-etc, etc.

PS: também cheguei a publicar umas coisas, lembro-me do mapa do “Army-Moves” que veio na “Capital” de quinta-feira – outra grande referência da época (eu sou capaz de ainda ter isso, se tiver, publico).

PixaComXis Produxões said...

Ofereço Commodore Amiga a precisar de novo dono e drive de disquettes

Algum interessado?