A surfada de 01Dez07

Eu e o HEM fomos cedo à procura de ondas mas apesar do bom aspecto do mar, nada parecia funcionar... por isso fomos ver o pessoal a surfar na Cave de Tow-in.

Apesar de não estar muito grande, a verdade é que o pessoal se estava a mandar bem, o que estava menos bem era a histeria colectiva do pessoal, com assobios e gritos do tipo "...era o tubo da vida dele...".

Depois vieram os alemães e com eles a chuva... era hora de ir para casa.

4 comments:

HEM said...

Foi pena termos ficado em terra, mas eu estava em baixo de forma e a pica não era muita.

Gostei de ver o tow-in (no Domingo é que deve ter rendido ver) e da gaita de foles humana (acho que ela viboru mais os tubos que os próprios surfistas).

Rui said...

Se não viram na sic vejam neste link e deliciem-se com uma bela peça de jornalismo à qual não faltou chamar ao Ruben Gonzales, Ruben Gonçalves...

http://blogarcadia.blogspot.com/2007/12/tow-in-lourinh.html

PixaComXis Produxões said...

Vejam no Pixa pá!

pixacomxis.blogspot.com

Abraço

Anonymous said...

Retirado de http://www.vert-mag.com/homepage.html :

"03/12/2007 >> O Lado B da Vida.

Concerteza que já ouviram ou leram as peças sobre a sessão de ondas grandes que ocorreu ontem "naquele" pico, com direito a filmagens de helicóptero, quatro a cinco motas de água, reportagem na televisão e indicação geográfica do spot em pleno telejornal (esqueçam as revistas, a iniciativa foi revelada em "prime time").

O que ninguém mencionou, e até certo ponto até é compreensível, é que estavam dois bodyboarders presentes nessa sessão! Falamos de João André e Ricardo Faustino que, além de terem dividido o pico com os demais, entraram na água, inclusivamente, à base da remada tradicional, sem qualquer tipo de ajuda motorizada.

Enquanto as equipas de mota de água estiveram presentes foi praticamente impossível apanharem as maiores ondas do "set" visto que o surfista rebocado vem sempre de trás (i.e. tem prioridade). No final da sessão o taitiano Manoa Drollet fez questão de agradecer as ondas aos boogie boarders mostrando uma atitude que ainda está longe das nossas águas e realidade. Uma atitude típica de uma nação com forte tradição no surf...

No final do dia, quando o pico já se encontrava deserto, os dois bodyboarders puderam realmente apanhar umas "bombas" daquelas que fazem aquela onda um sítio tão especial e único na costa portuguesa. Favor ver as imagens em anexo que nos foram cedidas por um colaborador...

A discussão sobre o papel das motas de água em picos onde se encontram pessoas a remar ainda vai no adro por cá, ao contrário de outros países onde a modalidade é mais comum e até já existem leis restritivas.

A título de exemplo, basta mencionar que nos dias anteriores já tinha ocorrido alguma frustração por causa destas equipas de "surfistas x piloto de moto" estarem a treinar na Cave em dias com algum crowd.

Até quando a prepotência irá reinar? Será preciso alguém se magoar a sério para o bom senso vir ao de cimo? Que acontecerá ao piloto se porventura "passar a ferro" alguma das pessoas que se encontra na água? E se acontecer uma fatalidade? Passará ele impune? Será acusado de homicídio involuntário? Que tipo de leis existem para uma situação destas?

A actividade do tow-in e até mesmo do tow-out não tende a diminuir, por isso mais vale começarem a pensar no assunto. Certamente um tema que dá pano para mangas..."